Imagem capa -  Sabes limpar os equipamentos e proteger-te em tempos de Covid-19? por Edgar Raphael
DidáticoDicas para Fotógrafos

Sabes limpar os equipamentos e proteger-te em tempos de Covid-19?

Tens cuidados especiais a limpar a tua máquina e respetivo equipamento? Em tempos de uma pandemia à escala global, dizer que todo o cuidado é pouco não chega. Os desafios somam-se a cada dia, e não só para os profissionais de saúde. 

Com o objetivo de ajudar os profissionais da fotografia, Tom O’Brien, engenheiro da National Geographic, recomenda alguns cuidados adicionais para limpeza dos equipamentos que vou partilhar contigo. Porque é importante que saibamos proteger-nos.


O especialista recomenda que não se mergulhe as câmaras em qualquer solução, mas sim que se vaporize levemente, com o produto de limpeza adequado ou com toalhetes desinfetantes.

Limpar, sobretudo, em redor da câmara e nas fendas, bem como nos mostradores não pode ser descurado.

Tom O’Brien sugere, se possível, a utilização de um filtro UV/transparente para a frente da lente, de modo a que a câmara possa ser limpa com frequência, sem a preocupação de provocar danos no revestimento.

Limpar as lentes de zoom é, igualmente, fundamental, recomenda o engenheiro.

Pessoalmente admito que sempre limpei bem o material, mas agora admito que a limpeza é um pouco mais obsessiva.


Especialista recomenda

 

Jenell Stewart, especialista em doenças infeciosas da Universidade de Washington, casada com um repórter de imagem, sentiu necessidade de compilar alguma informação pertinente que oriente a comunidade de jornalistas e repórteres.

A médica recomenda que se respeite as indicações divulgadas pelas autoridades de Saúde de cada país e que se seja criterioso na seleção de informações que todos os dias nos chegam através dos Media.

“Há muitas informações e algumas contraditórias sobre o Covid-19”, alerta. E aconselha que se tenha noção dos riscos reais para a nossa saúde e para a dos outros, no exercício das nossas atividades laborais.

Em tempos de pandemia, recomenda a especialista que se evite viagens desnecessárias, sobretudo para outros países. Atualmente, a tecnologia permite que trabalhemos de outra forma, sem necessidade de recorrer a ações que colocam a nossa saúde em perigo.


Falsa sensação de segurança


No caso de se estar infetado, deve cumprir-se os dias de quarentena indicados pelos médicos. Não se deve, em circunstância alguma, sair de casa. Esta ação salva a nossa vida e a de outras pessoas.

A especialista recomenda ainda que não se confie nos números que todos os dias são divulgados. “Há mais infetados do que aqueles que são contabilizados”, referiu. Pela simples razão de que há muitas mais pessoas a ter a doença, nem todas as pessoas fazem teste e algumas são assintomáticas, ou seja, não têm sintomas.

Não se assuma que se sabe o que se está a fazer cumpre todas as recomendações. “Isto cria uma sensação de falsa de segurança”, indica Jenell Stewart.

Este é um vírus novo e a todo o momento surgem informações complementares às já existentes, que levam a que se tomem novas medidas de proteção. 

Usar a máscara, respeitar a distância de segurança, lavar as mãos com frequência e despir a roupa quando se chega a casa. Pendurar a roupa e não voltar a mexer nela durante, pelo menos, uma hora.

Por algum tempo, este será o nosso novo normal.

O vírus sobrevive bastante tempo nos objetos:

*Plástico – 72 horas

*Borracha – 110 horas

*Vidro – 96 horas

*Ferro – 48 horas

*Roupa – 1 hora

Em síntese, todo o cuidado é pouco quando se trata de um vírus mutante como o Covi-19.


E tu, tens cuidado e tratas de limpar a tua máquina?

Partilha aí nos comentários.