Imagem capa - Fotografia de rua, sabes o que é? por Edgar Raphael
DidáticoDicas para Fotógrafos

Fotografia de rua, sabes o que é?


Sabes o que é a ‘fotografia de rua’? Os académicos e historiadores têm as suas teorias e o conceito continua a ser debatido pela atual geração de ‘criadores de imagens’. Debates estes que surgem quase em resposta às novas tecnologias e ao crescimento das redes sociais, nomeadamente das plataformas de partilha de imagens, como é exemplo o Instagram.


A pergunta é de retórica, porque, na verdade, o que pretendo é abrir uma discussão/reflexão fazer sobre o tema. Assim, se tens amigos a partilhar do mesmo gosto, seria interessante ouvirem a versão de cada um e quais os argumentos utilizados para defenderem  as suas ideias.


Posso adiantar-te que para uns, a fotografia de rua mostra a visão do fotógrafo na observação do quotidiano e defendem a autenticidade da imagem. Defendem que a ‘fotografia de rua’ é a que traduz espontaneidade das pessoas e destas nos lugares. Outros acreditam que a fotografia de rua não tem regras. 


E a propósito de regras, conheces a Regra dos Terços? Se tiveres interesse lê o meu artigo aqui.


Acredito que a fotografia de rua não tem de seguir à risca esse conceito de autenticidade, até porque se abordamos uma pessoa na rua e lhe pedirmos para ‘posar’ para a nossa objetiva a comer um hambúrguer, por exemplo, ou a olhar para uma montra, a sua linguagem corporal muda e a espontaneidade que se pretende cai por terra. Pelo menos já está comprometida.


Mas porque é que a fotografia de rua tem de ter essa ‘aparência sincera’?


Uma outra teoria interessante é que a fotografia de rua tem de ser mesmo de espaços públicos, ao ar livre. O que, tanto a mim, pode ser uma contradição, porque houve grandes nomes da área que fizeram grandes fotografias dentro do metro ou de outros espaços ‘fechados’, como centros comerciais.


Também curiosa é a ideia de que a fotografia de rua tem de conter o elemento humano. Não faz sentido, e neste caso considero mesmo um equívoco, porque um dos pais da fotografia de rua, Eugene Atget, fotografou a cidade de Paris – a sua imponente arquitetura, os pormenores das fachadas e dos edifícios -, e a maioria das suas imagens não têm pessoas. E não é por isso que deixam de transmitir que ali há vida. Que a cidade brilha pelas energias de quem nela vive.


Colin Westerbeck, reconhecido internacionalmente como o maior especialista em fotografia de rua, justifica que Atget se concentrou na arquitetura da cidade onde as pessoas interagiam. 


Em ‘Bystander: A history of street photography’, obra de Westerbeck, explora-se e explica-se o desenvolvimento deste género fotográfico, com a abordagem de grandes mestres do século XX, a inclusão de fotógrafos contemporâneos, e ainda abordagem à fotografia digital.


Sou apologista, ou melhor, estou convicto de que é a arte fotográfica que importa, que há imagens que nos tocam e fazem pensar a humanidade e que as fotografias documentam a vida e os momentos.



E para ti o que é a fotografia de rua?


Deixa o teu comentário, ele é importante!